outubro 21, 2009

O Solista

O valor da amizade, a capacidade de amar algo apaixonadamente, a importância da entrega nos relacionamentos entre as pessoas, a importância de cuidarmos dos outros sem medo de assumir essa responsabilidade. De tudo isto nos fala este filme.


Ontem enquanto o via lembrei-me do livro “O Principezinho”, particularmente desta frase: «Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.»


Acho que hoje em dia muitos de nós temos medo de encarar esta responsabilidade, a responsabilidade de saber que temos o poder de magoar os outros, a responsabilidade de saber que afectamos os outros, a responsabilidade de saber que podemos fazer tão bem quanto mal aos outros.


«A vida é difícil.» (O Caminho menos Percorrido, Scott Peck)


De facto, a vida é difícil e há sempre a possibilidade de magoarmos e de nos magoarmos, mas sem assumirmos que isso é possível mas que também faz parte de viver não podemos verdadeiramente entregarmo-nos e viver intensamente esta vida que é única… e curta.


Uma lição a aprender… por mim também.

2 Comments:

Blogger zeni said...

Ao ver o filme tomei consciência de algo sobre mim própria. Compreendi.

novembro 02, 2009 12:13 da tarde  
Blogger Solange de Paula said...

É um grande filme! Tive a sensação do descontrole sobre a vida, sobre a lucidez e a loucura.

dezembro 10, 2009 7:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home